quinta-feira, 30 de março de 2017

EVOÉ! ZÉ CELSO, 80 ANOS


- EVOÉ! 

José Celso Martinez Correa, Zé Celso, simplesmente ZÉ, hoje completa 80 anos. 


*
Do Zé, guardo faz tempo (parece que foi ontem), relatos, causos, histórias épicas de um homem épico, essencialmente feito de dramaturgias. Outro dia (parece), ele escrevia numa carta: 

"Fiz 37 anos dia 30, numa festa linda no Oficina em que 22 pessoas deram prova de que a viabilidade econômica é possível fora da exploração. Fui diretor de teatro e hoje sou um comunicador da revolução. Zé Celso é o meu nome. SP - 05/03/74"


                                                          **
                                                             
*Foto by Carlos Ebert
** Foto: Still/filme "A$$untina das Amérikas" de Luiz Rozemberg Filho

sábado, 25 de março de 2017

LEILA DINIZ, 70 ANOS

Ao meio da caretice reinante, hoje é dia de celebrar LEILA DINIZ, ela que soube como poucos mostrar que o indivíduo é livre. Tudo isso durante a repressão da Ditadura (1964-1985).


    * as atrizes Ana Maria Magalhães e Leila Diniz - piscina do Hotel Nacional/Brasília, 1968. * Foto by Orlando Brito

1968, BRASÍLIA

Vindo do Amazonas, era um recém desembarcado na Capital Federal para estudar o colegial, quase nada sabia sobre Leila, naquela época ainda não havia canal de televisão em Manaus. 

                                    *Foto by Orlando Brito

Mas, durante o Festival de Cinema de Brasília, junto com outros afoitos adolescentes conseguimos penetrar numa tarde ensolarada na piscina do Hotel Nacional e para nos recepcionar (entre tantos astros e estrelas), ali, diante dos nossos olhos estava imersa uma sereia, ela nos olhou e deu uma piscadela...

Uau! Foi um "deus nos acuda". 

Pra quem aquela sereia havia piscado os olhos? 

Até hoje, é um mistério que cada um de nós que fomos presenteados por esta cena, guarda... 

Leila Para Sempre Diniz.

quinta-feira, 23 de março de 2017

AKIRA KUROSAWA, MUITO À FRENTE DO SEU TEMPO



Hoje, dia 23 de março de 2017, ao menos podemos celebrar algo de muito bom. 

O cineasta japonês de todo-mundo AKIRA KUROSAWA completaria 107 anos. 

A força teatral do seu cinema nos levou à complexidade das contradições humanistas. 

Pra mim, é de longe, um dos maiores cineastas, soube como poucos exprimir os seus sentimentos, mas que eram também os nossos - tanto faz ocidente ou oriente: 

Viver, Os Sete Samurais, Rashomon, Trono Manchado de Sangue, Ralé, Sanjuro, O Homem Mau Dorme Bem, Dodeskaden, Dersu Usala, Ran, Kagemusha entre outros... 

SONHOS (1990), é um dos seus últimos filmes que foi recebido na época com muxoxos, mas, hoje ao se assistir vê-se o quanto Kurosawa estava à frente do seu tempo.

EM BREVE, O FIM DO SALÁRIO MÍNIMO



A Lei das Terceirizações é bom somente para os patrões, inimigos das conquistas sociais...

- Adeus 13º, FGTS, Previdência, Férias remuneradas, Vale-refeição e transporte, Aviso prévio, Licença maternidade, Horas extras...

Em breve, o fim do salário-mínimo. 

E, sejam bem vindos ao século XIX, bem vindos a Lei do Sexagenário, bem vindo a Lei da Chibata.

- Bem vindos ao retrocesso, da multiplicação do desemprego e da miséria no País dos sem-futuro.

ESSES PERVERSOS TEMPOS MODERNOS


Os defensores do famigerado "neoliberalismo" gostam de afirmar que as leis da Era Vargas estão velhas e por isso devem acabar. 

-Será? 

Nem tudo que é velho com certeza não tem importância, mas precisamos valorizar determinados paradigmas das conquistas sociais, independente do tempo em foram implementadas. Pode-se no máximo adapta-las, mas nunca extingui-la, como a atual "Lei das Terceirizações" pretende.

Essa onda de extinguir tudo, só favorece àqueles que sempre foram contra a estas conquistas ao longo da História: 

"QUANTO MENOS DIREITOS, MAIOR É O LUCRO."

sábado, 25 de fevereiro de 2017

A DOCE VIDA...LA DOLCE VITA


Ao rever o filme "A DOCE VIDA/LA DOLCE VITA" (1960) de Federico Fellini, ele me causou uma sensação como tivesse levado um tapa na cara, tal as referências emblemáticas que explicam a nossa atualidade. Refiro-me ao legado rascante de Fellini sobre uma época que viveu, mas que pode ter sido uma carta do passado para o futuro-presente. 


O fim de uma era, a perda do provincianismo, o princípio da globalização, a presença descartável das celebridades e diante disso a perplexidade do ex-provinciano de Rimini. Não foi gratuito que este filme torna célebre a indiscreta e perversa profissão dos "paparazzi". Eles que simbolicamente anunciam uma era predominante aonde a farsa, invasão da privacidade, frivolidade, hipocrisia, narcisismo, exibicionismo, esbanjamento consumista formam o imaginário (consciência?) destes tempos. Logo na famosa sequencia inicial, a imagem de Cristo flutuando, carregado por um helicóptero, é uma metáfora da substituição da sociedade agrária por esta que põe no altar do sagrado: o "deus-consumo". 



FICHA TÉCNICA: A Doce Vita (La Dolce Vita, 1960). Dir. Federico Fellini Com Anita Edberg, Marcello Mastroiani, Anouk Aimée, Alain Cuny, Lex Baxter...Rot.: Fellini, Pasolini, Ennio Flaiano, Tulio Pinelli, B. Rondi; Música: Nino Rota. 

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

TEORIA DA LUZ PRÓPRIA


Vamos continuar falando sobre Raduan Nassar. Recordo que na época do lançamento de "Lavoura Arcaica" (1975), um amigo me contou que havia ido a uma livraria e lá não conseguiu encontra-lo, mas ao procurar informação, o atendente se dirigiu a prateleira dos livros sobre agronomia. 



Este meu amigo, não se conteve em risos e gargalhadas. Ainda hoje, deve existir brasileiros que confundem o assunto do livro pelo título da capa. Talvez, esta tenha sido uma das confusões do ministro da cultura.

CEUVAGEM

"Livre-pensar é só pensar"

www.tudoporamoraocinema.com.br

Minha foto
Nasceu em Manaus-AM. Cursou o Instituto de Artes e Arquitetura-UnB(73). Artes Cênicas - Parque Lage,RJ(77/78). Trabalha há mais de vinte anos em projetos autorais,dirigindo filmes documentários: "TUDO POR AMOR AO CINEMA" (2014),"O Cineasta da Selva"(97),"Via Látex, brasiliensis"(2013), "Encontro dos Sabores-no Rio Negro"(08),"Higienópolis"(06),"Que Viva Glauber!"(91),"Guaraná, Olho de Gente"(82),"A Arvore da Fortuna"(92),"A Agonia do Mogno" (92), "Lina Bo Bardi"(93),"Davi contra Golias"(94), "O Brasil Grande e os Índios Gigantes"(95),"O Sangue da Terra"(83),"Arquitetura do Lugar"(2000),"Teatro Amazonas"(02),"Gráfica Utópica"(03), "O Sangue da Terra" (1983/84), "Guaraná, Olho de Gente" (1981-1982), "Via Láctea, Dialética - do Terceiro Mundo Para o Terceiro Milênio" (1981) entre outros. Saiba mais: "O Cinema da Retomada", Lucia Nagib-Editora 34, 2002. "Memórias Inapagáveis - Um olhar histórico no Acervo Videobrasil/ Unerasable Memories - A historic Look at the Videobrasil Collection"-Org.: Agustín Pérez Rubío. Ed. Sesc São Paulo: Videobrasil, SP, 2014, pág.: 140-151 by Cristiana Tejo.